Como usar playbacks nos ensaios

As restrições de tempo estão cada vez mais determinando os ritmos das nossas vidas em muitos aspectos. Procuramos por soluções prontas que não demandem mais tempo do que o minimamente necessário. Sem um certo cuidado e criatividade, não sobra muito para fazer o que realmente gostamos. Imagine então a comodidade de poder exercitar aquele solo de guitarra que você sempre quis tocar acompanhado pela banda dos seus sonhos em casa ou mesmo ensaiar seu show completo no conforto do seu quarto.

As backing tracks expandem os horizontes do músico e podem ser aplicadas em diferentes contextos. Publicaremos uma série de quatro posts exemplificando formas de tirar o máximo proveito dos playbacks.

Playbacks para exercitar

A dica aqui está em usar as backing tracks para refinar seus conhecimentos no instrumento que você toca de uma forma mais lúdica. Perceber os seus avanços ao acompanhar uma “pseudo-banda” em uma música bem produzida é bastante estimulante. Dentre os diversos estilos e produções, existem algumas que foram criadas especialmente para esse fim, como bases em tons determinados, repetitivas, que permitem ao músico exercitar a criatividade na criação de solos de improviso aplicando as técnicas que conhece ou simplesmente executando a harmonia em conjunto com o restante da banda.

As produções do tipo multi-track, que são disponibilizadas com as pistas da música abertas para manipulação, são perfeitas para exercitação e para shows já que você pode escolher quais instrumentos remover da música que você deseja exercitar e até mesmo ouvir somente o instrumento que você toca separadamente dos outros. Assim você pode comparar a sua execução com a gravação e acertar detalhes mínimos.

Com o auxílio de um bom player você pode manipular a backing track de diferentes formas e exercitar partes específicas da música de mabeira repetida, até que o resultado seja satisfatório para você.

Uma outra dica importante ao usar os playbacks para exercitação é gravar a sua performance e ouvi-la em seguida. Procure ter um ouvido crítico. Pode se empolgar com os resultados mas não deixe que esse sentimento te faça achar que está tudo 100%. Ouvir as suas performances é uma maneira sem igual de obter feedback sobre o que você está fazendo e que pode ser melhorado. Para isso você pode usar um software DAW (Digital Audio Workstation), um pequeno gravador ou até mesmo seu celular.

Sugerimos sempre usar uma DAW pois você pode gravar as suas performances em faixas separadas. Dessa forma você poderá realizar  gravações em  diferentes dias e comparar cada parte das gravações. Principalmente aquelas partes mais difíceis de sair. Assim você vai poder perceber melhor suas evoluções.

Ainda explorando um pouco o lado da diversão no aprendizado usando playbacks, além de usar as backing tracks próprias para exercícios de improvisação, você pode também escolher aprender a tocar a música que você mais curte caso ela esteja disponível como uma backing track. A exercitação de um solo que você curte acompanhado por uma banda de primeira vai te dar o gás que você precisa para chegar lá.

Uma outra grande vantagem em usar backing tracks para exercitar um instrumento musical está no fato de você poder escolher o tom da música. Nem sempre é possível encontrar a backing track que você deseja em diferentes tons, mas no caso das bases de improvisação de estilos, é mais provável. Por exemplo: procure na MultiSongs por backing tracks de blues que estejam gravadas em A, Em, C, etc. Dessa forma você pode exercitar improvisação usando escalas diferentes em momentos diferentes.

Você costuma usar backing tracks para exercitar um instrumento musical? Compartilhe sua experiência deixando seu comentário!

Forte abraço a todos.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *